Caros leitores e leitoras.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Vagas para trabalhar com marketing político em BH, BSB e SP

As eleições já começam a movimentar o mercado de trabalho. Mesmo com um volume menor de financiamento de campanha, os candidatos tem buscado a assessoria técnica para enfrentar as urnas.
A empresa Presença Online seleciona profissionais de diversas áreas e está montando um bando de reserva para atender demandas de serviços em Brasília, São Paulo e Minas Gerais.
Confira abaixo as áreas selecionadas, para mais detalhe, clique na função desejada:



Vagas em Belo Horizonte:

Vagas em São Paulo:

Vagas em Brasília:

Nem todas as vagas abertas são para contratação imediata, porém todos os currículos recebidos serão analisados e entraremos em contato com os selecionados para cada cidade. 

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Rádio Senado é finalista do prêmio CNBB

Larissa Bortoni, Maurício de Santi e Rodrigo Resende
 concorrem ao prêmio CNBB
A Rádio Senado é finalista do prêmio CNBB “Microfone de Prata” e, neste ano, temos uma inovação no prêmio: a escolha de uma menção honrosa por categoria feita pela internet.
Nossa reportagem finalista trata do crime do Estupro. Contamos a história de Inês Etienne, uma jovem que foi torturada e estuprada em um local conhecido como Casa da Morte, na Ditadura Militar, e também falamos sobre uma Proposta de Emenda à Constituição que torna o crime de estupro imprescritível, ou seja, a vítima não terá prazo para fazer a denúncia.
Com esse prêmio, podemos dar uma visibilidade ainda maior para a discussão desse tema que aflige tantas pessoas no Brasil. Assim, pedimos que você possa dar um like na nossa reportagem, seja no Instagram ou no Facebook, nos links a seguir e espalhar esse pedido pelos seus contatos.

Descrição da reportagem:

Em 1971, a jovem Inês Etienne, que lutava contra o regime militar, foi levada até a Casa da Morte: uma estrutura montada em Petrópolis para torturar opositores à ditadura. Entre as torturas enfrentadas por Inês uma delas marcou o resto de sua vida: o estupro. O crime sofrido por Inês ainda é extremamente comum no Brasil. De acordo com dados do IPEA, são mais de 500 mil estupros por ano no país, dados em projeção, já que incluem muitos que nem chegam a ser denunciados.


Autores:

O trabalho foi feito pelo trio de jornalistas: Larissa Bortoni, Maurício de Santi e Rodrigo Resende. Os jornalistas já foram finalistas do prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos e conquistaram menção honrosa no mesmo prêmio. Foram também finalistas de outras premiações nacionais como Prêmio Embratel, Abdias Nascimento e Prêmio de Direitos Humanos OAb- Rio Grande do Sul.


Para ouvir, clique aqui.

Para votar no Instagram, clique aqui
Para votar no Facebook, clique aqui

terça-feira, 29 de maio de 2018

Crise: TV paga apresenta queda de 8,8 mil clientes em abril

Por Samuel Possebon, da TelaViva News

O mercado de TV por assinatura apresentou queda de 8,8 mil clientes, fechando abril com 17,965 milhões de assinantes. As grandes operadoras, que em março haviam tido um refresco, voltaram a ter quedas significativas em abril. 
A Claro TV (DTH) perdeu 26,5 mil assinantes,  ficando em 1,77 milhão de assinantes. Já a Net (cabo), cresceu 8,4 mil. Com isso, o grupo Claro Brasil, maior operador do país, acumulou queda de 18 mil assinantes, com uma base total de 8,955 milhões de assinantes. A Sky também perdeu base significativamente no mês. 
Foram cerca de 30 mil clientes a menos, fechando com uma base de 5,267 milhões de clientes. Já a Vivo TV acelerou, com 7,5 mil novos clientes, e uma base total de 1,594 milhão de usuários. 
A Oi TV também manteve o crescimento, com 3,2 mil novos assinantes e uma base total de 1,53 milhão. A análise comparativa das pequenas operadoras ficou impossível porque a Anatel fez um ajuste de vários meses na base da Algar, que agora aparece com 119 mil assinantes. 
Com isso, as demais operadoras 498 mil assinantes, contra 468 mil no mês anterior. Segundo os dados da Anatel, a queda de base anual do setor está em 814 mil clientes.

domingo, 27 de maio de 2018

Emprego: Andes seleciona editor chefe de Jornalismo

O salário é de R$ 8.850,60 mais benefícios sociais. Não foi informada a jornada de trabalho. Inscrições até 13/06/18.


Por Chico Sant'Anna

O Sindicato Nacional dos Docentes nas Instituições de Ensino Superior - Andes-SN lançou edital para selecionar um jornalista para a função de Editor Chefe de Jornalismo. 
Os candidatos deverão ser jornalistas formados e detentores de registro profissional.
O desempenho das funções será em Brasília, mas o profissional selecionado precisará ter disponibilidade para viagens fora do DF, inclusive em fins de semana.
Exige-se experiência na coordenação de equipes de trabalho e com com imprensa popular e/ou alternativa. 

Na seleção contará ponto o domínio de leitura e/ou escritura em espanhol, francês ou inglês.
O salário é de R$ 8.850,60 mais benefícios sociais. Não foi informada a jornada de trabalho.

As inscrições ocorrem por meio de uma ficha de inscrição disponível no portal do Andes ou pelo e-mail secretaria@andes.org.br que devem ser enviadas à entidade até às 18h de 13/06/18, pela internet ou entregue presencialmente. Àlém da ficha, deverão ser anexados currículo com cópia do diploma, registro profissional e portfólio.
O exame curricular é a primeira etapa da seleção, haverá também prova de seleção.
Para acessar o edital com mais informações, clique aqui.

domingo, 20 de maio de 2018

Sest-Senat seleciona Comunicador Social

O Serviço Social dos Transportes e Serviço Social de Aprendizagem no Transporte (Sest-Senat) seleciona um profissional de Comunicação Social para atuar na condição de Técnico de Campanhas e Eventos. Podem se candidatar graduados em Jornalismo, Publicidade ou Relações Públicas.
O contrato é por tempo determinado (não foi informado o tempo) e o desempenho das atividades dar-se-á em Samambaia - DF. O anúncio publicado no Correio Braziliense de 20/5 não informa o salário ofertado nem a jornada de trabalho.
Dentre os requisitos desejáveis está a experiência em campanhas sócio-educativas e o planejamento, organização e execução de eventos.
Os interessados devem enviar seus currículos, até o dia 24/5, para o endereço eletrônico brasilia.df@sestsenat.org.br, informando no espaço para "assunto" o código 008/2018

sexta-feira, 27 de abril de 2018

5 vagas para profissionais de Comunicação na função de analista de mídia social


Vagas em Sao Paulo. Home office não será aceito.


Por Chico Sant'Anna



A empresa Presença Online procura profissionais de Comunicação Social para o preenchimento de cinco vagas de analista de mídia social. 
O candidato deverá ter experiência nesse tipo de interface, possuir boa redação, boa relação com os usuários de redes sociais, gerenciando respostas que prezem pelo bom relacionamento com o público.

Ao todo são 5 vagas de analista de relacionamento em mídia social, todas para início imediato.

O salário e a jornada de trabalho não foram informados, nem mesmo a relação contratual. O trabalho será desempenhado em São Paulo, capital, no bairro de Pinheiros, Não serão aceitos sem home office.

Requisitos:   
·      Graduação em Comunicação Social ou áreas correlatas; 
·      Excelente gramática, escrita e redação;
·      Habilidade em apuração de conteúdo; 
·      Familiaridade com publicação e edição em redes sociais; 
·      Familiaridade com métricas em redes sociais; 
·      Ótima comunicação, bom relacionamento com clientes e atenção a detalhes;   

Para participar do processo seletivo basta preencher o formulário disponível aqui.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

A história do JB, o jornal que amava a notícia, com Cézar Motta

Por FC Leite Filho

O Jornal do Brasil, JB para os íntimos, marcou época na imprensa brasileira, principalmente pela maneira que tratava a notícia. Longe do facciosismo e da intolerância que marcam os dias de hoje, a redação do JB procurava retratar a realidade a partir de um ponto de vista factual. E o fazia com extrema elegância e até um certo lirismo. 

Seus jornalistas e patrões, quaisquer que fossem as posições ideológicas e injunções empresariais de cada um, priorizavam os fatos, antes de mais nada. 

A poesia desses profissionais - jornalistas, escritores, artistas plásticos e outros sonhadores que sofreram com a censura política, a auto-censura, os desmandos e a megalomania dos patrões, ainda produziu outro efeito colateral: uma certa revolução na cultura e mesmo nos hábitos daquele Brasil que parece não voltar mais.


Leia também:

O dia em que o JB voltou a circular


Veja bem, não estamos falando de um jornal alternativo. Nada, o JB  pertencia à grande imprensa, ou mídia hegemônica, como dizemos hoje. Estava sujeito às pressões do poder e dos negócios, mas sempre fazia prevalecer o primado da notícia.

O jornalista Cézar Motta, 68 anos, ex-JB, ex-O Globo, ex-TV Globo, ex-Veja, é o nosso entrevistado do programa Café na Política. Ele conta como pôs a mão nesta história, que rendeu um livro de 564 páginas, recentemente editado pela Objetiva. Seu título: "Até a última página - Uma história do Jornal do Brasil". 

Minucioso e detentor de farto material, cedido pelos donos do jornal e testemunhos vivos de mais de uma centena repórteres e editores, políticos e administradores, ele nos relata, como era este grande jornal, por muitos considerado como um The New York Times ou um Le Monde brasileiro.


--